quarta-feira, julho 14, 2004

Discos Perdidos, vol. 1; cap. 1.

Meus senhores, minhas senhoras, restante comunidade indistinta, eis o primeiro exemplo daquilo que é um disco perdido. Atende o produto pela designação Coastal e fica a dever-se à maquinação engenhosa dos Field Mice.
E porque é que este é um bom modelo de disco perdido?
Bom, a questão é pertinente, podemos começar por apontar o facto de ninguém o conhecer, o que é desde logo um forte indício de disco perdido. Depois, há também a circunstância de dificilmente alguém puder apontar uma pessoa, que não esteja ligada aos autores por laços familiares ou afectivos, que tenha, de facto, gasto dinheiro com o disco.
Mas eu gastei, o que me confere a vantagem moral de poder estar aqui a pregá-lo, enfim continuemos.
Factos:
Ano de edição – desconhecido;
Ano de compra – 1993 (sim, sou um desses tarados);
Editora – Sarah Records;
Contribuição inestimável para a história da música – uma;
Qual – This Love is Not Wrong;
Pergunta - Mas essa canção não é, como é que posso dizer isto, ...um bocado gay.
Resposta – É, mas isso não interessa nada, para já porque nada me move contra a mariquice, depois porque é aqui que encontramos o mais inspirado baixo da história recente da pop. A boa música não tem género, nem musical nem sexual.
Pergunta: Mas, insisto, como é que o In The Navy e o Y.M.C.A. se tornam grandes hinos do movimento alegre, quando uma melodia tragicamente inspirada, ainda por cima acompanhada por um poema que faz realmente sentido, fica esquecida numa prateleira qualquer, na esperança de que a vinda de uma civilização inteligente a leve até aos bancos da escola, onde servirá para mostrar quais são e como soam os fundamentos da pop?
Resposta: Porque, seja quem for que determina a banda sonora que há-de conotar-se com a homossexualidade, padece de ignorância grave e de estupidez sem limites.
Pergunta - E, nesse disco, há mais para ouvir ?
Resposta – Pfff, isso é desconhecer a história da Sarah Records, havemos de voltar a ela noutra oportunidade. O disco tem 78 minutos e pode ouvir-se todo muito bem. O talento dos Field Mice não se esgotou naquela canção. Há até outros álbuns, que posso facultar a quem demonstre suficiente interesse e dinheiro.
Despedida - Então, até à próxima.
Réplica – boas-tardes, foi um prazer.
C.G.

1 Comments:

Blogger ana said...

desculpem vir por aqui, mas como não têm mail. sabem-me informar ou não acerca do cd da Mary Travers?

10:49 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home