terça-feira, agosto 17, 2004

Um tipo com sorte

Em almoço recente, o Nuno Costa Santos mostrava-se desiludido com "Absent Friends", o último Divine Comedy. Não o emocionava como os primeiros, queixava-se. Hoje, que lhe nasceu o Rodrigo, talvez o disco soe melhor. Pelo menos a segunda faixa, a qual deve ser ouvida com três quilos, quatrocentos e setenta gramas de pura alegria ao colo.

Charmed Life

When I hold you in my arms,
And look back on my charmed-life
My charmed life
I hope, I hope if nothing more
That one day you’ll call your-Life
A charmed life

Well I never really worried that much
About making lots of money and such
And I always seemed to land on my feet.
Though there’s been some difficult times
The good times where never far behind
I snatched all of my victories
from the jaws of defeat

When I hold you in my arms,
And look back on my charmed-life
My charmed life
I hope, I hope if nothing more
That one day you’ll call your-Life
A charmed life

Well the course of true love never ran smooth
They broke my heart, and I broke theirs too
And breaking up was so very hard to do
But I knew I’d find the one
And sure enough she came along
And not long after that along came you

Well sometimes this life is like being afloat
On a raging sea in a little row boat
Just trying not to be washed overboard
But if you take your chances and you ride your luck
And you never, never, never, never, never give up
Well those waves will see you safely to a friendly shore

When I hold you in my arms,
I know that this is a charmed-life
A charmed life

FMS

5 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Também levei algum tempo a entranhar este album. Agora, já tenho dias em que acordo «Leaving today», e tenho mesmo de ouvir tudo!

Beijinho, Bis

6:30 da tarde  
Blogger al said...

Só um preciosismo: "Absent Friends" não é dos Divine Comedy, mas de Neil Hannon a solo - não é que os Divine Comedy fossem muito mais do que um alter ego de Hannon. Quanto ao álbum, nem é preciso entranhar - ele entranhou-se sozinho no leitor de CDs do carro e raramente dá lugar a outros (e os outros que andam no carro são gente da estirpe de Morrissey, Franz Ferdinand, Beth Orton, Walkabouts, Belle & Sebastian, só para mencionar alguns).

5:21 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Tantos mundos comuns. Também não mudo o cd do carro há quase uma semana, e na aparelhagem roda Franz Ferdinand...

Bis

11:13 da tarde  
Blogger al said...

Já sei, já sei, meti água; mas não é que eu estava mesmo convencido de que era só o Neil Nannon? Onde terei ido buscar esta ideia?

11:28 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

desculpem o comentario fora do contexto, mas quando é que vcs escrevem sobre o "I" dos magnetic fields?

leste

3:49 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home