sábado, setembro 10, 2005

Everyday I love you more and more

Escuto na Antena 3 os Kaiser Chiefs comentarem a música portuguesa que Nuno Galopim e Mário Lopes os fazem ouvir. Era escusado. Onde pára a tal hospitalidade dos portugueses? Enfim, como boas amostras da Velha Albion que são, os Kaiser Chiefs foram impecavelmente ingleses: mantiveram as aparências com estudada cordialidade, mas, utilizando o sarcasmo tipicamente bife, lá foram dizendo o óbvio, com precisão assinalável. Maria Albertina é uma canção pop irrepreensível e irresistível. Em Old Jerusalem há uma honestidade de que não se duvida e um pródigo talento. Quanto ao resto, o que todos sabem e que, ainda assim, leva alguns ao sonho molhado da internacionalização. Os Gift são europop sem sal e inspiração, os Wray Gunn e os Blasted Mechanism muito barulho e pouca substância, a versão que os Plaza fizeram de Scott Walker merece mais discrição que descrição e os Post Hit nada mais são que um anagrama de Shit Pot. Falou-se de outros mas já nem sequer me lembro.

FMS

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Ora, deliraram com Blind Zero! É possível? Sim, é, como muitas outras coisas.
Fiquei a gostar ainda um bocadinho menos deles, mas se se sentem bem com a sua com a sua pop "descartável"... isso é que é preciso!!

6:53 da tarde  
Blogger Francisco said...

Quem são os Blind Zero?

4:36 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home