quinta-feira, março 03, 2005

Maximilian Hecker



Sentimental, intimista, romântico, no fio da navalha para o piroso (o que sendo alemão é fácil). Mas ouve-se e depois quer-se ouvir outra vez. Como se os Radiohead voltassem a querer soar bem ou os Sigur Ros não se tivessem tornado assim como que para o chato. É o que agora ando a fazer. Alterno o Rose com o Lady Sleep e aviso toda a gente, do mesmo modo que me avisaram a mim, que é para comprar, para ouvir de manhã à noite, de mão dada com a mais que tudo, a pensar nela, ou a pensar em quem ela seria, quando não a temos. Maximilian Hecker é o nome. Se querem andar de boas relações com a vida é comprar. PAS

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

As referêcias que fazes aos Radiohead "a querer soar bem" ou Sigur Ros sem serem chatos não me parecem as mais elucidativas a cerca do som de M.Hecker...
Porque não falar numa mistura de Elliott Smith com variações em Mark Kozelek e ainda mais próximo de um Nick Drake.
Sinceramente parecem-me mais elucidativas.
É bonito sim senhor (este senhor "Max" e a música que compõem). Para além de que está mais que provado que as melodias tristes despontam um certo encantamento no sexo feminino. Sem dúvida o som apropriado para aqueles momentos clássicos no sofá, ao lado da tal miúda, quando o braço hesita no abraço e a cadência da melodia vai sendo um pretexto para a concretização. :)

Girl afraid

10:52 da tarde  
Blogger Pedro said...

já comprei, gostei. ;)

10:54 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home